Subscreva a nossa newsletter e receba 10% de desconto!

0
0 Items Selecetd
No products in the cart.
0
0 Items Selecetd
No products in the cart.
Fechar
Voltar

JLD’MAG

Passar do loiro ao castanho: como proceder?

Muito se tem falado das morenas que gostariam de ser loiras. Então, e quando é ao contrário? Descubra como é feita a transição de uma cor para a outra, sem correr riscos, quando se passa pelas mãos de um cabeleireiro profissional.
 
Saiba que passar do loiro ao castanho sensibiliza menos o cabelo do que a operação inversa. A menos, obviamente, que o seu cabelo já seja delicado por natureza. Para evitar danificar os seus cabelos ou exibir reflexos indesejados, o ideal é dirigir-se ao seu cabeleireiro para um resultado personalizado.
 
O seu cabeleireiro irá, antes de mais, preparar o cabelo, fazendo-lhe uma coloração prévia. “Até porque não se pode pintar diretamente um cabelo, sem risco. Esta etapa transitória, antes da coloração, permite que a cor agarre melhor no cabelo, mas também a impede de se alterar com o tempo.” Uma vez o cabelo preparado, poderá, finalmente, submeter-se à coloração. “O ideal é não optarmos por extremos e mantermo-nos próximos da nossa cor original, para um acabamento o mais natural possível. Mas, regra geral, é mais fácil obter-se reflexos quentes, como o castanho, do que reflexos frios.”
 
Para que a sua cor continue bonita o máximo de tempo possível, há que lhe proporcionar os cuidados devidos. Em casa como no salão de cabeleireiro. Procure incluir novos hábitos na sua rotina capilar, passando a usar produtos destinados aos cabelos pintados, nomeadamente champôs e máscaras. “Partindo-se, portanto, de uma tinta mais clara, para aumentar as hipóteses de a nova cor aderir melhor, estes produtos, nesse aspeto, são indispensáveis. Convém, por conseguinte, utilizá-los para que a cor não se esbata ao fim de poucas semanas.”
 
E nada de se desleixar com as idas ao cabeleireiro! O ideal é ir ao salão uma vez por mês para devolver reflexo à coloração. “Nesse aspeto, não há necessidade de voltar a pintar o cabelo. Pode-se, por exemplo, fazer um Gloss, só para reavivar os reflexos.” Se a sua coloração for muito contrastante relativamente à cor natural do seu cabelo, lembre-se de retocar as raízes a cada 30 dias ou, no máximo, de 6 em 6 semanas.
 
A nossa dica: Nos salões Jean Louis David, os produtos utilizados para a pré-coloração do cabelo não contêm amoníaco. O ideal para evitar agredir e, por conseguinte, sensibilizar o cabelo. Posto isto, privilegie, sempre que possível, as tintas sem amoníaco,para uns cabelos cheios de saúde!

PARTILHAR

Pode também gostar

Relax: serviço exclusivo Jean Louis David para um cabelo flexível e suave

Cansada de usar o alisador de cabelo todos os dias?...

Ler Mais

Corte de cabelo escalado para cabelos finos: opinião de profissional

Os seus cabelos são finos, mas deseja adotar um corte...

Ler Mais

Que cuidados privilegiar em cabelos pretos pintados?

Obter um preto profundo é algo que é trabalhoso, antes...

Ler Mais