0
0 Items Selecetd
No products in the cart.
0
0 Items Selecetd
No products in the cart.
Fechar
Voltar

JLD’MAG

Os penteados dos anos 60

Os anos 50 são a confirmação de que as mulheres ansiavam acabar com aquela imagem de personagem secundária ao adotarem cortes bem curtos, mais masculinos. Os anos 60 vieram para voltar a homenagear os cortes compridos e muitíssimo femininos, sem necessariamente imitar os das suas precursoras. Descubra, desde já, os incontornáveis dessa época para que também os possa adotar com estilo!

Os cabelos ripados. Nos anos 60, o volume ao extremo é levado a sério em prol de cortes XXL e de brushings colossais. As cabeleiras querem-se densas e, até à data, ainda não houve ninguém que se lembrasse de algo melhor do que a técnica de ripar o cabelo! Para o efeito, agarre num pente (cujos dentes deverá espetar no interior da sua cabeleira), segure na mecha em questão em posição levantada e penteie os respetivos fios em sentido contrário, isto é, partindo das pontas e acabando nas raízes.

O topete moicano. É o incontornável dessa época, um corte emblemático imortalizado pela não menos icónica atriz Brigitte Bardot. É frequente fazer-se acompanhar de uma franja larga, mas a franja lateral também serve perfeitamente. Para reproduzir este penteado, ripe os cabelos situados no topo da cabeça para dar um máximo de volume e disponha-os em forma de topete ou de meio rabo-de-cavalo. Mantenha os restantes cabelos soltos, ligeiramente desestruturados.

A faixa – o adereço tendência. Para reviver a tendência da década de 60, escolha uma faixa que seja larga e use-a em cabelos soltos. Idealmente, com um bonito brushing, com as pontas viradas para fora e uma franja cheia. A faixa virá assentar no meio da cabeça. Ou, simplesmente, em cabelos soltos e sem grande definição ou ligeiramente ondulados e, desta vez, com a faixa rente à testa.

A risca ao meio. Adote esta risca em cabelos compridos soltos e lisos para evidenciar um estilo boémio. O movimento hippie ainda agora começou, mas já tem inúmeros adeptos, pelo seu conceito como pela sua forma! Mais uma vez, a franja é uma mais-valia com este penteado, para um estilo irresistivelmente “anos 60”.

A franja direita. Encontramo-la em todos os penteados da década de 60. Seja cheia ou repicada, não há testa que resista à franja direita. Uma revolução capilar para a época, e que não perdeu quaisquer pontos ao longo dos anos. Prova disso, continua no coração das tendências nesta estação!

PARTILHAR

Pode também gostar

Hair story: as extensões de cabelo

Não há nada com as extensões de cabelo para ganhar...

Ler Mais

Tendência capilar no masculino: o man bun

Já lá vai o tempo em que os homens e...

Ler Mais

Aparar a franja em casa

Aparar ou “dar um jeito” à franja, sim, mas não...

Ler Mais